Redação destaque da turma de Metalurgia 2° ano na Avaliação Global do 2o. trimestre de 2016. IFMG – Campus Ouro Branco.


Consumismo: problema mundial

No que se refere ao consumismo na idade contemporânea, pode-se perceber que há tanto aspectos positivos quanto negativos. Se por um lado o consumismo sustenta a economia e o modo de vida capitalista; por outro, as pessoas se tornam escravas do consumismo, já que a mídia traz a ideia de que os bens materiais proporcionam satisfação e felicidade aos indivíduos.

Relativo à economia e ao capitalismo, o consumismo movimenta quantias exorbitantes de dinheiro mantendo, dessa forma, tal sistema. As compras, ainda que de maneira descontrolada, são vistas como algo positivo para empresas e indústrias que lucram cada vez mais, dessa maneira, é possível afirmar que o consumismo acentuou-se após a revolução industrial do século XVIII e a consolidação do capitalismo.

No entanto, o consumismo tornou-se exacerbado, visto que mídias como televisão e internet, manipulam as pessoas para que adquiram cada vez mais produtos, ainda que não precisem deles. Estudos apontam que os americanos acumulam, inúmeros produtos desnecessários, o que gera uma grande quantidade de lixo, sendo que se os indivíduos do mundo inteiro consumissem como os estadunidenses, seriam necessários o equivalente a cinco planetas Terra para descartar todos os produtos supérfluos.

O consumismo é, portanto, algo negativo para as pessoas e o planeta. Dessa forma, são necessários medidas por parte do governo para que por meio de leis regulem o conteúdo veiculado pela mídia para que não influencie e torne as pessoas alienadas com relação ao consumo de produtos. Aliado a isso, são necessários organizações como o Greenpeace para que, através de campanhas, conscientizem a população e os donos da produção com relação aos maléficos causados pelo consumo exagerado.